Dia triste pela perda do amigo Wilian de Souza

Num ano difícil, de muitas perdas para tantas famílias, hoje choramos a partida de um amigo

Wilian Sebastião de Souza Cunha (22/04/1958 – 12/11/2020)




Verdade, gente. Este 2020 não está nada fácil. Hoje perdi um grande amigo, melhor dizendo, a primeira amizade que fiz em Trindade, no início dos anos de 1990. A minha esposa Ana Lúcia trabalhava na empresa deles, a Charmarry, foi então que conheci o saudoso Othoniel e a Lúcia, os meninos deles, a Luiza e o Thiago, que já faleceu também, além do Wilian, a Lena e depois a Thaís e a Thâmara, filhas dos dois. Família muito bacana com a qual nos relacionamos desde então, um pessoal, como a gente diz, muito bom de se ter por perto.

O Wilian foi uma cara desses “de boa” demais da conta, trabalhava na Polícia Civil e cuidava dos negócios pessoais também. Tinha um jeito relaxado, mas era trabalhador e gostava de viver bem, sempre ao redor de amigos. A gente se dava muito bem e por ele fui conhecendo muita gente legal, o seu tio, o saudoso Antônio de Sousa, na mesma época o também saudoso Vilmar Brasil, e depois acabei conhecendo o hoje meu compadre Claud Wagner e tantos outros amigos com quem mantenho amizade por três décadas seguidas. É, o tempo passa mesmo e a gente, no corre-corre diário, quase nem percebe. De repente se assusta: Nossa, tem tudo isso já? E tantas perdas igualmente vão se acumulando, faz parte dessa experiência divina chamada vida.

E nesta quinta-feira (12) foi isso, o Wilian se foi, aos 62 anos de idade. Bem que lutou pela recuperação da saúde, com os recursos que temos, mas a doença nem sempre se dobra aos tratamentos modernos, até porque, tudo tem seu tempo e sua hora e é Deus que sabe das coisas, de todas as coisas. É muito triste qualquer perda e quem realmente mais sente o baque são os familiares, as pessoas bem próximas ali do convívio e cuidados diários. Claro, os amigos compartilham a dor, pois agora não teremos mais mensagens pelo celular jogando conversa fora, nem pensar em tomar uma gelada falando miolo de pote uns para os outros. No lugar disso tudo vai ficar a saudade.

Que o Pai Eterno conforte e console a Lena, a Thaís e a Thâmara. E que o Wilian tenha sido bem recebido por Deus, em sua infinita bondade e misericórdia, com a qual contamos. Vá em paz, meu amigo.


Comentários

Parceiro

Parceiro