Quer começar um negócio? Então corra.

Ser ágil no entanto, não é ser descuidado


Inã Zoé, estrategista de marcas. (Foto: Divulgação)



É bem provável que nos últimos meses você tenha visto uma série de novos negócios surgirem durante a pandemia. Seja para atender necessidades básicas de alimentação ou serviços de entrega, ou mesmo produção de máscaras e outros itens bem específicos do período.

É provável também que você, se não embarcou em uma nova empreitada, pelo menos pensou em iniciar algo, ou no mínimo apoiou um amigo, certo? Um ingrediente, porém que tem marcado a diferença entre quem está conseguindo ter êxito e aqueles que ainda estão patinando, nada mais é que a agilidade na tomada de decisões.

Enquanto há pouco tempo a ordem era fazer um plano de negócios pra ninguém botar defeito, o novo cenário diz que tirar as ideias da cabeça e testar no campo de batalha é a melhor estratégia. Isso não quer dizer que você precisa investir rios de dinheiro no seu projeto.

Pelo contrário, faça o mínimo viável para ver se sua ideia tem aderência, se existem pessoas suficientes dispostas a adquirir seus produtos e serviços. Se você conseguir vender 10 pizzas para além de seus familiares e receber elogios de completos desconhecidos, você já está no caminho.

Ser ágil no entanto, não é ser descuidado. Coloque todo foco e energia em seu projeto. Determine o tempo de uma a três semanas para que o piloto já esteja em teste e as pessoas já possam experimentar a versão beta de seu produto ou serviço. No mais, te desejo boa sorte.


Inã Zoé é estrategista de marcas pessoas, empresariais e colaborador deste blog.



Comentários

Parceiro

Parceiro