Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014

E Tayrone deixa candidatura a vice-governador na chapa petista.

Realmente, a situação para a chapa petista nestas eleições, encabeçada por Antônio Gomide, ex-prefeito de Anápolis, se não era boa, sofreu um revés que apenas complica uma situação já difícil. É que na sessão desta terça-feira (30), o vereador Tayrone Di Martino (PT), renunciou à candidatura a vice-governador. Ou seja, Gomide ficou sozinho na chapada, como se diz. O anúncio, feito pelo próprio Tayrone, aconteceu na Câmara Municipal de Goiânia hoje à tarde e foi rápido. Para saber o porquê dessa atitude do jovem parlamentar goianiense é importante relembrar que o vereador votou contra a proposta de elevação das alíquotas do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) apresentado pelo prefeito Paulo Garcia (PT). Por causa dessa desobediência a uma orientação partidária, Tayrone e também Felizberto Tavares foram suspensos por 60 dias do Diretório Municipal. Ocupantes de cargos em comissão na Prefeitura de Goiânia, indicados pelos dois vereadores, teriam sido exonerados em

Projeto de aumento no IPTU em Goiânia provoca estragos no PT da capital.

Imagem
Ex-aliados petistas: Ver. Tayrone e pref. Paulo (Diário da Manhã). Que confusão é essa na Prefeitura de Goiânia, sob a gestão petista do prefeito Paulo Garcia? A definição de novas e mais altas, alíquotas do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) a ser cobrado aos proprietários de edificações e lotes na capital goiana, virou imbróglio político. Como protagonistas, petistas versus petistas. Claro, há também políticos de outros partidos, mas o que interessa mesmo é a briga intestina de gente que até poucos dias jogava no mesmo time. Se o projeto do prefeito Paulo Garcia realmente vingar, o contribuinte goianiense terá um conta salgada em relação ao pagamento do IPTU que deverá ser pago a partir de janeiro de próximo ano. Quanto a isso não há nenhuma dúvida, evidentemente. Agora a confirmação, caríssimos. Em pleno domingo (28), após às 18 h, os vereadores de Goiânia se reuniram, debateram quase nada. Melhor dizendo, em sua maioria, os vereadores oposicionistas discursaram.

E o eleitorado está desanimado com as candidaturas a deputado

Imagem
No dia 24 passado postei um texto sobre a forma, a meu ver, equivocada pela qual diversos candidatos a cargos de parlamentares desenvolvem suas respectivas campanhas em busca do voto.  Veja aqui . A coisa toda acaba confundindo mais o eleitor a respeito do papel de um deputado ou senador. Além do mais, os próprios políticos atuam de forma a solapar a credibilidade do público votante e pagador de impostos em relação à importância da instituição, de um modo geral. E eis que no dia 27, o jornal O Popular estampou em seu caderno Eleições 2014, a quantas anda a descrença popular quanto aos candidatos a parlamentar. Segundo pesquisa do Serpes, 62,5% do eleitorado goiano ainda não sabe em que irá votar para deputado federal. 52,8% ainda não tem candidato a deputado estadual. A pesquisa Serpes/O Popular entrevistou 801 eleitores espalhados por 36 cidades (Goiânia e região central de Goiás, Entorno de Brasília, bem como municípios goianos do Sudoeste e Noroeste do Estado), de 22 a 26

Sobre os motoristas que se acham demais no trânsito

Daí você está transitando por algumas das diversas ruas e avenidas movimentadíssimas de Goiânia quando, assim do nada, surge atrás do seu possante, uma dessas caminhonetes último tipo, digamos, uma Hilux ou Amarok, até tinindo de novinha. E o motorista do carrão já surge no retrovisor da gente dando sinal de luz como quem diz: - “Tira essa sua lata velha da frente que a preferência é minha”. Acho que não sou só eu que vivencio algo semelhante em Goiânia com alta frequência e também, quando nos deslocamos quase que por todo lugar onde quer que se vá nessas bandas daqui “do” Goiás. Interessante como existe motorista se comportando ao volante como se houvesse algum artigo no Código Brasileiro de Trânsito determinando pista livre sempre que o mesmo estiver se deslocando. Ou seja, os demais condutores devem dar passagem imediata para o cabra. Outra galera que também se acha demais no trânsito são alguns motociclistas. Os caras agem como se qualquer nesga de espaço entre carros se

O que esperar do funcionamento no Parlamento no Brasil

Se o eleitor fosse realmente decidir seu voto para deputado estadual, federal ou senador, ouvindo a mensagem que os candidatos passam sobretudo nos respectivos jingles, a coisa ficaria difícil. E bota dificuldade nisso aí, gente. Ouve-se cada bobagem nas letras feitas sobre hits do momento com o objetivo de enaltecer o candidato que chega até a ser hilário, muito embora deveria ter uma dose generosa de seriedade na coisa. O sujeito é candidato a uma vaga de parlamentar. São 17 cadeiras em disputa na Câmara dos Deputados, o tamanho da atual bancada goiana no Legislativo brasileiro. E nestas eleições há uma vaga de senador da República em disputa. São 41 vagas de deputado estadual na Assembleia Legislativa de Goiás. Que o eleitor, o homem comum, não saiba lá muito dizer o que faz um parlamentar, deputado ou senador, vá lá. Agora, o camarada que se candidata a um cargo desses precisava mostrar claramente para o eleitorado que sabe onde está querendo, perdão pela expressão algo tosc

Grupom mantém Marconi na liderança em Goiás

Imagem
Pesquisa realizada pelo Grupom Consultoria Empresarial, contratada pelo jornal  Diário da Manhã , consultou as opiniões de 1.011 eleitores, em Goiás, entre os dias 19 a 22 de setembro. Tabulados os dados, o resultado confirma o favoritismo do atual governador que disputado a reeleição. Na pesquisa Marconi Perillo (PSDB) figura em destaque no primeiro lugar nas intenções de voto do eleitorado goiano, com 42,2%. No segunda posição, aparece Iris Rezende (PMDB), com 25,3%. Mais atrás, na terceira colocação, Vanderlan Cardoso (PSB), com 11,4%, enquanto que Antônio Gomide (PT), surge na quarta posição, com 5,1%. No pelotão de trás, Marta Jane (PCB), tem 0,6%; Wesley Garcia (Psol), < 0,1%, e Alexandre Magalhães (PSDC), < 0,2%. Nas simulações do segundo turno, Marconi venceria Iris por 48,7% a 34,4% das intenções de voto. O candidato tucano ganharia também de Vanderlan, por 52,9% a 30,3%. Marconi sairia vencedor, por 55,4% a 25,5%, se o concorrente fosse Gomide. Marconi é o

Coisas com as quais o eleitor parece não se importar na escolha de candidatos

E daí o incauto eleitor sai pela cidade e se depara com uma quantidade enorme de carros “adesivados” com material de campanha daquele candidato até então absolutamente desconhecido. Bom, pelo menos, não tão conhecido assim. De repente, uma cara nova pinta em todos os espaços, tornando-se uma imagem presente para onde quer que se olhe. E a gente se pergunta: “Onde este sujeito estava até agora, o que estaria fazendo, que ninguém falava nele?” Logo não tarda alguém trazendo uma informação esclarecedora. Dizem que tem candidato que paga, coisa de 10 litros de gasolina por semana, para quem se dispõe a “adesivar” o carro e assim permanecer, evidentemente durante todo este período de caça ao voto. Sabendo que o povo brasileiro, o goiano também, especialmente o trindadense, é muito rigoroso com essas questões, penso que está havendo um equívoco. Não acredito nessa história de gente recebendo dinheiro ou combustível em troca de transformar seu carro, digamos, em outdoor ambulante. O

Mais um retrato momentâneo dos humores do eleitorado goiano.

Imagem
Metodologia Universo: Eleitores residentes e domiciliados no Estado de Goiás. Tamanho da Amostra: 1.000 entrevistados. Intervalo de Confiança e Margem de Erro: Para um intervalo de confiança de 95%, a margem de erro máxima é de 3,1%. Data da Coleta de Dados: 15 a 18 de setembro de 2014. Registros: TRE nº TRE-GO com o número GO - 00131/2014 e no TSE número BR-00728/2014. Responsabilidade Técnica: Fortiori - Pesquisa, Diagnóstico e Marketing. Extraída da edição desta terça-feira (23) do jornal  Diário da Manhã .

Privatização e corrupção

Imagem
Sempre fui e sempre serei contra todo tipo de privatização, terceirização, “parceria” ou coisas do gênero envolvendo patrimônio público. Privatização rima com corrupção. Aliás, privatização é a nova cara da corrupção. Repassam à iniciativa privada o patrimônio público, e em muitos casos, os próprios governantes viram sócios das empresas que vão usar o que é do povo para enriquecer seus proprietários, e claro, o político que “ajudou” na privatização. Privatização rima com corrupção e também com incompetência. Quem privatiza assume que não dá conta de administrar e repassa a terceiros a tarefa que o povo lhe confiou. E não adianta dizer que terceirizar resolve todos os problemas, como diz aquele pastor candidato à presidência. Aqui em Goiás temos vários exemplos de privatizações fracassadas, apesar da propaganda oficial dizer o contrário. O transporte coletivo é privatizado e pra ser comparado ao resíduo sólido que bebês deixam na fralda precisa melhorar muito. O serviço de te

Canteiro Central da Avenida Rondônia: Retrato do desmazelo público.

Imagem
Canteiro central da Avenida Rondônia: Desmazelo total. A Avenida Rondônia, na Vila João Braz, naquele trecho bem em frente ao salão de eventos Palazzo Aphonsiano, é um triste retrato do abandono de um logradouro público pela Prefeitura de Trindade. O canteiro central ou ilha, sei lá a denominação correta, é um espaço bem amplo que poderia ser urbanizado, ter uma pista para quem gosta e pode caminhar ou fazer uma corrida, seja no início ou no final do dia. Poderia até mesmo ser criado um parquinho com alguns brinquedos onde as mães pudessem levar as crianças também. Ter bancos sob a sombra no local, ajudaria bastante. E olha que talvez alguém até se animasse a instalar um quiosque por lá e aquele lugar iria ficar bem mais movimentado, agradável, ponto de integração da comunidade. Ou talvez isso aqui seja tudo uma bobagem tremenda deste blogueiro. Pode ser que a engenharia de trânsito de Trindade resolvesse estreitar o canteiro central para alargar mais as pistas de rolamento, v

Falando sobre a atual prática política e eleitoral

Os caras ainda não desenvolveram uma forma diferente de fazer campanha eleitoral nessas “terras em que se plantando, tudo”. Então, o sujeito se candidata e, podendo, reúne sua galera e bota logo uma carreata nas ruas e avenidas da cidade. Claro, tudo isso embalado por jingles feitos sobre um dos hits do momento, e aquele foguetório também, ora pois. A ordem, parece, é fazer barulho e mostrar para o povo inteiro que o fulano de tal é o cara. Fazendo isso, imagina-se, os votos hão de aparecer nas urnas lá no dia 5 de outubro. Por onde a carreata vai passando fica um rastro de sujeira que os apoiadores do distinto candidato vão jogando de seus veículos. Lógico que santinhos, panfletos, bandeiras, cartazes, além de garrafas de plásticos, latas de refrigerantes e cervejas podem ser encontrados ao longo do trajeto percorrido pela animada galera que, fazendo barulho a fim de angariar simpatias e, evidentemente, votos segue numa alegria só. Particularmente, acho isso uó toda vida. Poré

Pesquisa Veritá/Brasil 247 sinaliza vitória tucana no primeiro turno em Goiás.

Há 15 dias das eleições, pesquisa Veritá, contratada pelo site  Brasil 247 , realizada entre os dias 15 e 18 de setembro, entrevistou 2.203 eleitores, mostra o governador Marconi Perillo (PSDB) liderando a corrida sucessória em Goiás. Marconi tem 44,1% das intenções de voto enquanto que Iris Rezende (PMDB) aparece com 24,8%, em segundo lugar. Vanderlan Cardoso (PSB) figura na terceira colocação, com 8,7%, e Antônio Gomide (PT), com 5,3%, patina na quarta posição. Digamos que os 4 primeiros aí fazem parte do pelotão de elite da disputa, onde realmente se percebe que os caras estão mesmo tentando e têm chances de chegar à vitória. A margem de erro é de 2,09 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento está registrado no TRE com o protocolo GO-00125/2014 e no TSE com o protocolo BR-00683/2014. A pesquisa Veritá/Brasil 247 apresenta ainda a situações dos demais concorrentes à vaga de “inquilino da Casa Verde”, para o período de 2015-2018. Alexandre Magalhães (PS

Refletindo a respeito da necessidade de renovação na política goiana

Há 15 dias das eleições deste ano, a hora de fazer a “gata parir” está chegando com uma rapidez tremenda. Como sempre acontece o nível da campanha, em termos de acusações entre os concorrentes, tende a cair lá pela altura do calcanhar mesmo. Nada que possa ser considerado assim, digamos, algo inédito em disputas políticas. No frigir dos ovos os caras perdem as estribeiras e só falam mal uns dos outros, enquanto que a apresentação de propostas factíveis ou ideias interessantes vão lá para as cucuias. Se alguma coisa semelhante ao que está dito acima acontecer nesta reta final da campanha eleitoral 2014, ao menos para este modesto blogueiro que vos escreve, estará tudo conforme o script das disputas por cargos públicos na máquina do Estado, em terras brasileiras. Normal. Falando sério, ficarei mesmo impressionado é se não houver gritaria, sobretudo dos concorrentes posicionados na rabeira, segundo os números das pesquisas de intenção de votos que serão divulgados de agora até ant

O pitoresco na campanha eleitoral em Goiás

Imagem
Durante a temporada de caça ao voto na qual estamos vivendo, é possível notar cada coisa do arco-da-velha. Por exemplo: Andando pela região central de Goiânia, outrora conhecida como a “cidade das flores” e hoje tão encardida, eis que me deparo com um monte de placas de candidatos a deputados estaduais e federais. No meio daquilo tudo dou de cara com a imagem do Leandro Sena, de dedo em riste, meio que dando uma dura no incauto eleitor. Será que se mostrar daquele jeito ao eleitorado dá voto? Uái, vejamos. Na noite do dia 5 de outubro próximo, a gente conversa sobre isso. E aquele jovem deputado estadual que está tentando a reeleição, ou seja, mais quatro anos bem instalado no Palácio Alfredo Nasser, sede da Assembleia Legislativa de Goiás, que usa o bordão “Não estou aqui para passar a manteiga no bigode do gato”? É, o Elias Júnior está onipresente em Goiânia mediante uma infinidade de banners nas ruas da capital goiana. “Passar manteiga no bigode do gato”, o que v

Campanha eleitoral 2014 é muito água com açúcar, sem graça demais da conta.

Deixe-me comentar uma coisa com você, internauta que gosta de falar sobre política. Você concorda que essa campanha eleitoral está muito sem graça? Água com açúcar demais conta? Em 20 dias tudo isso há de terminar, pelo menos o primeiro turno. E tenho certeza de que nenhum candidato poderá falar honestamente que sentiu ou despertou a vibração do povo nas ruas. Até agora, convém salientar, a coisa está acontecendo mesmo nos meios de comunicação, sobretudo na televisão e no rádio. Quando os nobres candidatos conseguem reunir algumas pessoas isso tem se dado geralmente em ambientes fechados. Como era antigamente, e não tão antigamente assim, por meio de comícios a céu aberto, creio que dificilmente vamos tornar a ver. Sinal dos tempos, né? Afinal, eleição deixou de ser evento extraordinário na vida do brasileiro, desde o início dos anos de 1990 para cá. E na verdade de dois em dois anos há eleições neste Brasil de meu Deus. Há, claro, as carreatas que passam pelas lugares com u

Jânio se licencia e Cabriny assume a Prefeitura por 20 dias.

Imagem
Cabriny assume Prefeitura na licença de Jânio. A Prefeitura de Trindade está desde ontem (15) sob o comando do vice-prefeito  Gleysson Cabriny (PSDB), que assumiu o cargo de prefeito em virtude da licença do titular  Jânio Darrot (PSDB), para um período de 20 dias. Jânio atuará na coordenação da campanha à reeleição do governador Marconi Perillo (PSDB). A transmissão foi realizada no Gabinete da Prefeitura, com a presença de secretários municipais, autoridades e lideranças políticas da “Capital da fé”. “ Considero importantíssimo para o nosso município a reeleição do governador Marconi Perillo, e tenho pela frente a grande missão de coordenar, em período integral, sua campanha na região como um dos líderes do PSDB e como cidadão”, afirmou Jânio Darrot. Demonstrando confiança em seu companheiro vice-prefeito, Jânio afirmou que Cabriny é “um gestor competente e já demonstrou toda a sua capacidade quando da minha primeira licença para tratamento de saúde, em janeiro deste ano”.

Será que Trindade elegerá novos deputados estaduais em 5 de outubro?

Conversando com um pessoal que conhece muito bem os bastidores da política trindadense, dia desses, fui informado de que as campanhas dos candidatos a deputado estadual de Nélio Fortunato (PMDB), Alexandre Compleite (DEM) e Dr. Antônio Carlos (PDT) estão se destacando dos demais concorrentes cuja base de atuação é aqui mesmo, a “Capital da fé”. Já falei neste blog, em outras notinhas, a respeito do que penso sobre umas e outras candidaturas a deputado estadual de militantes políticos de Trindade. Acho que os caras estão mesmo é colocando os respectivos nomes em evidência mas de olho, verdadeiramente falando, nas eleições municipais de 2016, quando estará em jogo a sucessão do prefeito Jânio Darrot (PSDB), que poderá tentar a reeleição, evidentemente. Não vi nada acontecendo no desenrolar desta campanha eleitoral pura água com açúcar desde a redemocratização brasileira, capaz de me fazer mudar de opinião a respeito da viabilidade de diversas candidaturas a deputado estadual.

Os maiores doadores da campanha presidencial no Brasil agora em 2014.

Estava lendo hoje a coluna Fio Direto , do jornalista  Helton Lenine , no Diário da Manhã , desta segunda-feira (15) e fiquei sabendo que três grandes empresas brasileiras respondem por 39% das doações de campanha dos três principais concorrentes a presidente da República até agora, segundo a contabilidade oficial dos candidatos. Isso é grana alta, coisa de R$ 64 milhões. Trata-se da Construtora OAS, do Frigorífico JBS e da Construtura Andrade Gutierrez. Candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT) arrecadou até agora R$ 123,6 milhões, enquanto Aécio Neves (PSDB) amealhou R$ 44,5 milhões e Marina Silva (PSB) conseguiu R$ 24 milhões. Depois tentam dizer que as águas dos rios não correm para a mar, não é verdade? Os doadores de dinheiro para campanhas políticas se comportam, mais ou menos desse modo, destinando mais recursos aos candidatos com maior competitividade. Seria interessante se os caras do dindin resolvessem fazer doações segundo critérios eminentemente políticos, fina

Sobre educação ou falta dela, melhor dizendo, de motoristas no trânsito.

Hoje à tarde, ali pelas 17h10, ao sair para fazer uma caminhada e tentar manter uma certa atividade física em dia, levei um susto na rua. E vale dizer que a disposição não anda lá essas coisas não, minha gente. O calorão que fez em Trindade neste domingo, vou dizer, foi daquele tipo que se o sujeito quisesse poderia fritar ovo no asfalto. Lógico, se a pavimentação das ruas e avenidas estivesse em bom estado de conservação. Há buracos demais e irregularidades nas pistas de rolamentos dessa cidade conhecida como a “Capital da fé”, encravada bem no coração do Brasil. Bem, mas continuemos com o motivo do meu susto. Caminhava na Avenida Rondônia, Vila João Braz, sentido Avenida Raimundo de Aquino, quando, ao atravessar a Rua Rocha Lima, eis que aparece um motoqueiro, subindo pela Rocha Lima, sentido Avenida Manoel Monteiro, que ao me ver fazendo a travessia, simplesmente acelerou a possante dele na minha direção. Era uma moto 125, me pareceu. Não satisfeito, o cara ainda deu um recad

Parceiro

Parceiro