Hutrin expande leitos de UTI e retoma internações de pacientes com Covid-19

O Hospital conta com 12 leitos semicríticos e 10 críticos para atender casos da doença

Hutrin: Ampliação de vagas de UTI. (Foto: Divulgação)




Os casos de Covid-19 estão aumentando em todo o país e para dar assistência à população, o Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin) retomou as internações dos pacientes diagnosticados com síndrome respiratória aguda grave. Além disso, ampliou de oito para dez o número de leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que conta com o que há de mais moderno no trato da doença, como ventiladores mecânicos, monitores, bombas de infusão e oxímetros.

Fizemos uma rápida adequação interna, seguindo todos os protocolos de segurança, para ampliar os leitos de UTI e manter todos os procedimentos que já são realizados pelo hospital. Nós fazemos parte dessa batalha e estamos de portas abertas para acolher a população”, afirmou Getro de Oliveira Pádua, diretor do Hutrin.

Os equipamentos para compor a UTI foram cedidos pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-GO). A unidade de saúde pública ainda conta com 12 leitos semicríticos para casos intermediários da doença.

É importante ressaltar que os leitos disponíveis no Hutrin, assim como todos os que fazem parte da rede estadual, são regulados pela SES-GO e podem receber pacientes de qualquer região do Goiás, de acordo com a disponibilidade de vagas e perfil clínico dos pacientes.

O Hospital de Urgências de Trindade, desde o início da pandemia, tem sido um grande aliado na luta contra a Covid-19. Mais de 8,6 mil pessoas foram atendidas no Pronto-Socorro especializado que ficou ativo entre os meses de maio e novembro. Ao todo, cerca de 180 pacientes graves que precisaram de internação foram recuperados e puderam voltar para suas casas.

Cirurgias eletivas
A retomada dos atendimentos de Covid-19 não interrompeu os processos para as cirurgias eletivas, que estão acontecendo desde dezembro de 2020. Os procedimentos estão sendo feitos em uma ala exclusiva do Hospital para preservar o bem-estar e a saúde dos pacientes.

Os agendamentos são feitos pelo Complexo Regulador da Secretaria de Estado de Saúde de Goiás. Portanto, os pacientes não agendados precisam passar por consulta e avaliação completa no hospital para que o médico cirurgião possa averiguar o diagnóstico e solicitar o procedimento por meio da regulação.

Estamos seguindo de forma rígida todos os protocolos para garantir a segurança de todos os pacientes e manter o Hospital funcionando com sua máxima capacidade. É muito gratificante ver que nossa unidade acolhendo e dando amparo para as mais distintas enfermidades”, finaliza Pádua.


Aline Marinho e Camila Braunas da Assessoria de Comunicação do Hutrin


Comentários

Parceiro

Parceiro